Conheça quem apoia os nossos resgates.
Nos ajude mensalmente. Saiba como!
Assista aos vídeos do nosso dia a dia.
Siga-nos pelas redes sociais.
Dúvidas? O Rancho Responde!
Bootstrap Slider
Página Inicial Cotia-SP, 24 de Março de 2019



Área do Associado

E-mail:
Senha:
Lembrar senha 




Apoie o fim dos maus-tratos a jumentos em Porto Seguro/BA

Uma situação de muito sofrimento foi o que o encontraram Marcos e Silvia Pompeu em passagem por Caraíva, distrito do município de Porto Seguro, na Bahia. Em 03/01/2011, os ativistas do Rancho dos Gnomos se depararam com diversas situações de maus-tratos a cavalos e, principalmente, a jumentos usados para o transporte de bagagem de turistas e, para passeios dos próprios turistas, muitas vezes com excesso de peso, chegando a empinar a charrete. Vários apresentavam sangramento bucal e rostos machucados, o som estridente das chicotadas faziam parte do dia a dia.


Sangramento bucal causado pelo freio


Obs: todas as imagens foram captadas em janeiro de 2011, o calendário da máquina fotográfica não estava atualizado.

Muitos foram os relatos de espancamentos destes animais por seus condutores, de jornadas de trabalho ininterruptas de até três dias, em um percurso em que são obrigados a trilhar caminhos na areia, da falta de alimentação correta, tendo como única opção restos de alimentação já em estado de decomposição. Quando desatrelados, alguns são forçados a passar por dentro de um rio durante a madrugada. Alguns animais são conduzidos aos pontos de desembarque dos turistas puxados por motos. Não recebem qualquer tipo de atendimento veterinário, muitos estão infestados por carrapatos, não são desverminados e seus dejetos são lançados na praia, no rio ou em buracos nas vias de acesso, fatos agravados por se tratar de uma área de proteção ambiental (APA). Muitos habitantes da península repudiam a crueldade, mas atitude alguma havia sido tomada em defesa dos animais até então.


Animais não recebem assistência veterinária


Após colherem diversos relatos, os ambientalistas do Rancho dos Gnomos dirigiram-se à Vigilância Sanitária (VISA) em Porto Seguro para denunciar o descumprimento da Lei Federal dos Crimes Ambientais (nº 9605/98). Os coordenadores daquele órgão comprometeram-se a procurar os vereadores e o prefeito e sugerir a proibição da entrada de equinos e muares no povoado, propondo a substituição dos animais por "galinhotas" (carrinhos de mão) adaptados para o transporte dos pertences dos turistas e outros usuários do serviço.


Jumentos e cavalos são usados para todo tipo de transporte



O lixo de Caraíva também é carregado pelos equinos e muares até os barcos e só depois colocados em caminhões para sua destinação final


Nesta sexta-feira, 14 de janeiro, já em São Paulo, a equipe do Rancho entrou em contato telefônico com o coordenador da VISA, sr. José Mauro Alvares, e foi informado que na próxima semana representantes daquele órgão se reunirão com a comunidade de Caraíva para lhes informar sobre a proibição do uso dos animais e sobre as medidas para substituição dos mesmos.


Cavalo com a cauda decepada



Animais trabalham dias e noites seguidos sem descanso



Extenuados, jumentos e cavalos são violentamente chicoteados para continuarem a trabalhar



Animais são forçados, muitas vezes com agressões, a atravessar um rio


O Rancho dos Gnomos continuará acompanhando o caso!

Escreva para a Prefeitura de Porto Seguro apoiando a proibição da entrada de equinos e muares em Caraíva!


ouvidoria.saude@portoseguro.ba.gov.br
imprensa@portoseguro.ba.gov.br
noticias@portoseguronoticias.com.br
redacao@tribunadacosta.com.br
angelo@atlanticanews.com.br
redebahia@redebahia.com.br
redacao@correio24horas.com.br
jornalismoba@band.com.br
redebahiarevista@redebahia.com.br
cecilia.borja@redebahia.com.br
thianachaves@gmail.com

Assunto: Maus-tratos a animais em Caraíva

Exmo. Prefeito de Porto Seguro sr. Gilberto Abade

Venho parabenizar V. Exa. e a equipe da Vigilância Sanitária pela decisão de proibir a entrada de equinos e muares no distrito de Caraíva. Não é admissível que animais sejam escravizados, espancados, submetidos a trabalho (neste caso ininterrupto por até três dias), fiquem sem atendimento veterinário, entre outras crueldades, ilegalidades e irregularidades. A medida de V. Exa. é um exemplo para a Bahia e para o Brasil.

Gostaria de ser informado quando da implementação das medidas anunciadas e registradas em ata de reunião realizada na Secretaria Municipal de Saúde em 05/01/2011.

Respeitosamente,

(nome)
(cidade/estado)


Contamos com a ajuda de todos vocês!
Família Rancho dos Gnomos