Leões Baguá e Timbó

Leões Baguá e Timbó

Leão Baguá

Bwana Park, localizado no Rio de Janeiro, era um local de visitação pública com animais expostos. Características: recintos, alimentação, cuidados e tratamentos em condições bastante duvidosas. Conclusão: o Ministério Público interditou o tal parque ao constatar que lá havia dezenas de animais mortos.

Os poucos animais sobreviventes, entre eles um casal de leões, foram encaminhados para o Rio Rural, uma propriedade particular onde era permitida a visitação pública.

Não houve nenhum planejamento nem preocupação em esterilizar o leão para evitar reprodução. O casal de leões, assim, acabou se reproduzindo. O macho matou dois dos quatro filhotes por estar em situação de extremo estresse, confinado e com fome.

O superintendente do IBAMA/RJ era o responsável pelo caso e, como não houve o cumprimento da determinação judicial (esterilização do macho), uma ordem de prisão estava pronta para ser cumprida caso o órgão não providenciasse destino apropriado para os dois filhotes sobreviventes.

Leão Timbó

Em 11/05/2002, os telefones do Rancho não paravam de tocar: era o IBAMA/RJ solicitando apoio para esses filhotes. Informamos nossa falta de condições, falta de recinto, falta de recursos para alimentação e medicamentos, mas munidos de muito comprometimento, compaixão e vontade de ajudar esses animais, aceitamos mais este desafio.

Na ocasião, estávamos com uma carreta que abrigava temporariamente Gaya e Madah. Foi sugerido pelo órgão que dividíssemos a carreta para que a mesma pudesse abrigar os dois filhotes.

 

 

 

 

Em 12/05/2002, técnicos do IBAMA chegaram ao Rancho dos Gnomos, às 5 horas da manhã, trazendo os dois adoráveis e assustados leõezinhos.

Foram batizados de Baguá e Timbó. E, como era a única opção que tínhamos, foram abrigados dentro da carreta dividida.

 

Após um ano procurando algum parceiro que viabilizasse a construção de recintos para tirar os animais da nojenta e enferrujada carreta, surgiu a oportunidade de filiação à WSPA. Com tal afiliação, um recinto de mil e quatrocentos metros quadrados foi viabilizado e construído.

Em 2003, os quatro leões foram transferidos para o novo e belo recinto. Uma difícil convivência foi observada, tendo em vista que os dois bebês só queriam saber de brincadeiras e muita folia, enquanto que as duas senhoras – Gaya e Madah – só queriam saber de sossego.

Agradecemos imensamente o apoio prestado pela WSPA, que resultou na melhora das condições de vida desses animais.

Novamente, fomos em busca de parceiros para construção de um novo recinto que possibilitasse a separação dessas duas gerações.